2º Anuário da Reciclagem é lançado em evento virtual

Lançamento contou com a participação de vários representantes de entidades públicas e privadas como a Coca Cola e a DanoneAconteceu hoje o lançamento virtual do 2º Anuário da Reciclagem, publicação criada pela Ancat (Associação Nacional dos Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis) e a Pragma Soluções Sustentáveis, que traz informações importantes de uma vasta pesquisa sobre a cadeia de reciclagem no Brasil.

Movimento
Publicado em:
27/11/2020
Baixe o documento aqui

Lançamento contou com a participação de vários representantes de entidades públicas e privadas como a Coca Cola e a DanoneAconteceu hoje o lançamento virtual do 2º Anuário da Reciclagem, publicação criada pela Ancat (Associação Nacional dos Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis) e a Pragma Soluções Sustentáveis, que traz informações importantes de uma vasta pesquisa sobre a cadeia de reciclagem no Brasil. O evento online contou com a participação de Roberto Laureano da Rocha, presidente da Ancat, Dione Manetti, diretor executivo da Pragma e Luiz Henrique da Silva, Coordenador Nacional do MNCR (Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis).

O Anuário, que está em sua segunda edição, divulga dados quantitativos e qualitativos sobre os catadores e os processos de coletas em cada região do país. Um dos números apresentados por Dione Manetti mostrou que 81% das organizações de reciclagem com ganho acima da média nacional (aproximadamente R$ 30 mil/mensal) tem algum tipo de instrumento legal com órgãos públicos, como convênio, contrato, ou termo de parceria. Gustavo Madi, diretor da LCA Consultores, parceira na produção do Anuário, apresentou alguns dados contidos no estudo, como o pequeno avanço da coleta seletiva no país - que passou de 37% em 2012 para 38% em 2018. Ele pontuou que houve progresso na destinação final, mas que ainda é insuficiente para erradicar a destinação inadequada. Outro dado interessante da publicação aponta que as mulheres são maioria entre os catadores. Quando o assunto é faturamento, as regiões Sul e Sudeste têm apresentado a maior média de renda na atividade.

Durante o lançamento representantes dos parceiros, que contribuíram para a produção do Anuário, falaram da importância desse registro para o fortalecimento da cadeia de reciclagem. Entre eles, Coca Cola, Klabin, Danone, Frente Parlamentar em Defesa da Cadeia Produtiva da Reciclagem, Coordenação Internacional de Catadores, Plataforma Reciclar pelo Brasil, Abralatas, Programa Dê a Mão para o Futuro, Abiplast, Programa Recupera, Fundação Avina e representantes regionais do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis. O catador e presidente da ANCAT, Roberto da Rocha, salientou a importância dos parceiros públicos, privados e entidades para que esse Anuário fosse produzido. Afirmou sua satisfação em participar de um evento tão importante para os catadores e relembrou as dificuldades que já enfrentou com a atividade.

Já Luiz Henrique da Silva, do MNCR, destacou a importância da criação do Anuário da Reciclagem como “um divisor de águas para a criação de planos e programas para os catadores na gestão de resíduos sólidos no Brasil.”O Anuário ficará disponível em formato virtual para que seja amplamente divulgado e consultado, no endereço www.anuariodareciclagem.eco.br e nos sites da ANCAT e Pragma.