2021: Ano de reorganização para avançar

Números positivos na logística reversa e estabelecimento de novos acordos e parcerias fazem a Associação Nacional dos Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis (ANCAT) ter avaliação positiva sobre a temporada que se encerra.

Parceria
Publicado em:
23/12/2021
Baixe o documento aqui

Números positivos na logística reversa e estabelecimento de novos acordos e parcerias fazem a Associação Nacional dos Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis (ANCAT) ter avaliação positiva sobre a temporada que se encerra.

Se 2020, com o início da pandemia de Covid-19, foi considerado um ano de desafios, 2021 ficou marcado como o ano da superação. Neste período, ao mesmo tempo em que o Brasil e o mundo eram vacinados e reagiam diante do coronavírus, a ANCAT desempenhava, dia após dia, o trabalho de retomada e reordenamento de centenas de organizações de catadores em todo o país, impactadas pela pandemia e suas consequências sociais e econômicas.

Reciclar pelo Brasil

E os resultados vieram. Gerenciada pela ANCAT, a plataforma Reciclar pelo Brasil, maior programa de logística reversa inclusiva nacional, atingiu, no ano de 2021, a marca de 100 mil toneladas de resíduos sólidos recuperados, com 217 cooperativas parceiras.

Desde o seu início, em 2017, o programa recuperou mais de 400 mil toneladas de resíduos sólidos e beneficiou mais de 16 mil catadores de todo o país.  

Atualmente, o programa já chegou nos 26 estados brasileiros, levando investimentos para melhoria estrutural das cooperativas como reformas, ampliação dos galpões, assim como aquisição de veículos e equipamentos para fomento da produção.

“O ano de 2021, embora ainda em meio a pandemia, foi muito produtivo, com muitas ações e articulações feitas pela ANCAT, executando projetos que trouxeram bons resultados para os catadores. E esse balanço positivo nos traz  perspectivas animadoras para o ano de 2022, com novas parcerias e projetos”, afirma Roberto Rocha, presidente da ANCAT.

Parcerias

A atuação como articuladora de projetos e de relacionamento em favor dos catadores também gerou efeitos positivos neste ano. A ANCAT assinou alguns acordos de cooperação. Com o município de Guarulhos, o termo firmado visa a regularização jurídica e fiscal das cooperativas, com o intuito da ampliação da coleta seletiva na cidade. Assim como firmou parcerias com entidades que atuam no setor da reciclagem, como a CONDEMAT - Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê, com o objetivo de colaborar com as prefeituras para a implementação da coleta seletiva nos municípios que não possuem e ampliação nos que já possuem.  

Outra parceira importante é a Wiego, ONG internacional que busca a melhoria das condições de trabalho na economia informal, com o propósito de fortalecer a Organização dos Catadores do Brasil. As três principais vertentes de trabalho esse ano foram:

Reformulação do site do Movimento Nacional dos Catadores de Recicláveis
Criação de um site de e-commerce
Consultoria em segurança de sistemas VPS

Com o intuito de fortalecer antigas parcerias e fomentar novas, a ANCAT participou pela 1ª vez da Waste Expo Brasil, a maior feira do setor de saneamento, gestão de resíduos e limpeza urbana do país, em outubro, na cidade de  São Paulo. No último dia de evento, a ANCAT e a Confederação Nacional de Cooperativas de Trabalho e Produção de Recicláveis (Conatrec) promoveram o Seminário “A Reforma Tributária e o Impacto na cadeia da Reciclagem”. O evento discutiu o cenário atual da logística reversa no país e o impacto negativo que a derrubada do artigo 48 (Lei 11.196), que trata sobre a incidência do PIS/ COFINS, pode ocasionar nas cooperativas.

Ao final, foi assinado o termo de cooperação da ANCAT e Sindicato das Empresas de Sucata de Ferro e Aço (Sindinesfa), firmando a parceria para o apoio à elaboração e produção do Anuário da Reciclagem e, principalmente, para reunir e aperfeiçoar iniciativas nas questões tributárias de cooperativas. A ANCAT e Conatrec também assinaram um termo de cooperação, com o objetivo de ampliar o diálogo com o governo para a melhoria da coleta seletiva na cidade de São Paulo.


Lançamento do Anuário da Reciclagem 2021

Junto com o Instituto Pragma, a ANCAT lançou o Anuário da Reciclagem 2021, que chega a sua 3ª edição, se trransformando cada vez mais na maior plataforma de informações sobre a atuação de organizações de catadores(as) na cadeia de reciclagem brasileira.

O documento apresenta dados importantes como o quantitativo de organizações de catadores no país, a renda média de seus associados, o volume e os tipos de materiais recicláveis recuperados, o faturamento anual das organizações, entre outros, que estão divididos e detalhados por regiões, estados e cidades. Ele pode ser acessado gratuitamente pelo link: https://www.ancat.org.br/

Certa de que foram conquistados muitos avanços para a cadeia da reciclagem neste ano, a ANCAT planeja seguir trabalhando para firmar parcerias para a melhoria da condição de trabalho dos catadores, assim como a ampliação da cadeia da logística reversa.

“Acreditamos que a cada ano que passa a ANCAT está cumprindo sua missão com os mais de 850 mil catadores e catadoras de recicláveis  de todo o Brasil, seja em cooperativas, associações ou avulsos, pela melhoria de sua qualidade de vida. E isso está sendo possível devido a dedicação e empenho da nossa equipe técnica, que, com seu excelente trabalho de gerenciamento e apoio aos projetos, permite que a ANCAT realize esses ótimos resultados.

Que o ano de 2022 venha com a esperança de não termos mais catadores em lixões e nas ruas, sem visibilidade e sim como trabalhadores essenciais que são, atores importantes na cadeia da logística reversa. Continuaremos a trabalhar para que isso se torne uma realidade”, conclui Roberto Rocha, presidente da ANCAT.